HOME SOBRE RESENHAS ESCRITAS CONTATO PARCERIAS

Dia Nacional da Poesia

Olá pessoal!!!

Hoje, dia 14 de março, é comemorado o Dia Nacional da Poesia. Essa data foi escolhida em homenagem a um dos maiores poetas brasileiros, Castro Alves. 

Antônio Frederico de Castro Alves nasceu em 14 de março de 1847. De acordo com informações buscadas no site Brasil Escola Castro Alves foi "considerado um dos mais brilhantes poetas românticos, responsável por uma nova concepção de amor na Literatura, além de um notável entusiasmo por grandes causas sociais, como a abolição da escravatura. Depois dele, muitos outros vieram, mas como grande poeta que foi, teve seu nome perpetuado em nossa história, sendo, então, digno de reverências e homenagens." 

Para incentivar a leitura de poesias e ao maior conhecimento dos nossos amados e prestigiados poetas o Escritora Por um Acaso decidiu fazer esse post e deixar aqui um pouquinho de poesia para vocês!
Aproveitem!


Amar e ser amado
Amar e ser amado! Com que anelo
Com quanto ardor este adorado sonho
Acalentei em meu delírio ardente
Por essas doces noites de desvelo!
Ser amado por ti, o teu alento
A bafejar-me a abrasadora frente!
Em teus olhos mirar meu pensamento, 
Sentir em mim tu’alma, ter só vida
P’ra tão puro e celeste sentimento:
Ver nossas vidas quais dois mansos rios, 
Juntos, juntos perderem-se no oceano —,
Beijar teus dedos em delírio insano
Nossas almas unidas, nosso alento, 
Confundido também, amante — amado —
Como um anjo feliz... que pensamento!?


Castro Alves


Noite morta
Noite morta.
Junto ao poste de iluminação
Os sapos engolem mosquitos.

Ninguém passa na estrada.
Nem um bêbado.

No entanto há seguramente por ela uma procissão de sombras.
Sombras de todos os que passaram.
Os que ainda vivem e os que já morreram.

O córrego chora.
A voz da noite . . .

(Não desta noite, mas de outra maior.)

Petrópolis, 1921

Manuel Bandeira





É preciso não esquecer nada

É preciso não esquecer nada:
nem a torneira aberta nem o fogo aceso,
nem o sorriso para os infelizes
nem a oração de cada instante.

É preciso não esquecer de ver a nova borboleta
nem o céu de sempre.

O que é preciso é esquecer o nosso rosto,
o nosso nome, o som da nossa voz, o ritmo do nosso pulso.

O que é preciso esquecer é o dia carregado de atos,
a ideia de recompensa e de glória.

O que é preciso é ser como se já não fôssemos,
vigiados pelos próprios olhos
severos conosco, pois o resto não nos pertence.

Cecília Meireles



Esses só são alguns dos muitos poetas maravilhosos que temos, que tal aproveitar essa data tão especial para aprender e apreciar mais sobre esses poetas e seu trabalho e levar para vida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Escritora por um acaso / Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design / Ilustrações por: Kézia Martins
Tecnologia do Blogger.