HOME SOBRE RESENHAS ESCRITAS CONTATO PARCERIAS

[Resenha] Peter Pan tem que morrer

Lido em: Dezembro de 2015
Título: Peter Pan tem que morrer
Autor: John Verdon
Editora: Arqueiro
Gênero: Policial / Investigativo
Ano: 2015
Páginas: 400
Classificação: 

*Livro cedido pela Editora para resenha.
Sinopse: Peter Pan tem que morrer traz de volta o detetive Dave Gurney, protagonista de Eu sei o que você está pensando, Feche bem os olhos e Não brinque com fogo. “Uma sofisticada trama de suspense que os aficionados por mistério adorarão tentar resolver. Com um enredo tenso, cheio de intrigas inimagináveis, Peter Pan tem que morrer desafia a inteligência do leitor até sua dramática e espantosa conclusão.” – Library Journal No mais tortuoso romance policial escrito por John Verdon, o especialista em mistérios David Gurney dedica sua mente brilhante à análise de um assassinato terrível que não pode ter sido cometido da forma como os investigadores responsáveis pelo caso afirmam que foi. Detetive aposentado do Departamento de Polícia de Nova York, ele precisa cumprir uma espinhosa tarefa: determinar a culpa ou a inocência de uma mulher condenada pela morte do próprio marido. Ao descascar as diversas camadas do caso, Dave logo se vê travando uma perigosa guerra de inteligência contra um investigador corrupto, um cordial e desconcertante chefe da máfia, uma jovem linda e sedutora e um assassino bizarro que tem a altura e os traços de uma criança – aparência que lhe rendeu o apelido de Peter Pan. A uma velocidade assombrosa, reviravoltas assustadoras começam a ocorrer e Dave é sugado com força cada vez maior para dentro de um dos casos mais sombrios de sua carreira.






Resenha:

Peter Pan tem que morrer conta a história da investigação de um caso de assassinato que os dois detetives David Gurney e Jack Hardwick acreditam ter ocorrido de uma forma diferente da descrita pelo detetive responsável pelo caso.
David Gurney é aposentado, mas, por ser fascinado por casos de homicídio e quebras cabeças difíceis de serem solucionados, logo concorda em fazer parte desse caso e desmembrar cada situação ocorrida.

"Se Gurney fosse o tipo de homem que acreditava em presságios, talvez considerasse a imagem despedaçada um sinal da destruição que viria."

Quanto mais evidências descobre, mais complexas ficam as coisas. Ele se vê andando em círculos, sem sair do lugar.
Ele tem uma esposa adorável chamada Madeleine que não acha certo a forma como Gurney entra de cabeça nos casos.
Nesse livro, é possível acompanhar a busca interminável por pistas e evidências.

"Mas havia possibilidades de mais. Cruzamentos de mais."

Achei o livro muito interessante, pois nunca havia lido um livro policial ou de investigações.
É impressionante como as coisas se encaixam e fazem total sentido.
Gostei muito do livro e não posso classificá-lo com menos de cinco estrelinhas.
Achei brilhante e genial! É o primeiro livro que leio do John Verdon e já irei procurar por outros títulos do autor.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Escritora por um acaso / Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design / Ilustrações por: Kézia Martins
Tecnologia do Blogger.