HOME SOBRE RESENHAS ESCRITAS CONTATO PARCERIAS

Ninguém reparou


Hoje o mar está mais claro que o céu. Tudo está em um tom de azul quase branco. É uma manhã fria, e o sol nasce em um tom prateado. Há pessoas nascendo e morrendo. Correndo e paradas. No trânsito e no metrô. Nas escolas e nas praças. É só mais um dia normal, mas ninguém reparou que o mar está mais claro que o céu.

Ninguém reparou no azul pálido que está nos cercando. E ninguém sequer reparou na tamanha beleza de dias como esse. Parece que quem fez o dia esqueceu de colocar saturação, e isso tem certa beleza.

Aqui da água, o mar me parece mais extenso que o normal. Mais profundo que o normal. É sempre assim. Ninguém tem tempo para nada, nem para reparar que hoje o mar está mais claro que o céu. Ninguém reparou que o vento está parado, nem nas ondulações que chegaram no litoral. Ninguém reparou nos pássaros. Nem no céu. Nem no mar.

Um final feliz


Sempre haverá um final. E ele tende a ser feliz, mesmo com as suas marcas e cicatrizes. Mesmo que seja uma felicidade conformada. Mesmo que seja uma luta constante, sempre haverá um fim.

Seja ele um ponto final, uma vírgula ou uma frase incompleta. Ou então a falta do que escrever. Ou a falta de linhas. Ou o intervalo limitado de tempo. Um parágrafo. Não importa como, o fim é inevitável. E quem o escreve somos nós.

Como seres humanos, procuramos encontrar um final feliz para nossas histórias, e por muitas vezes o fazemos. Nosso final depende inteiramente do enredo ou até mesmo do início. Nosso futuro depende do que estamos escrevendo no presente. E às vezes, quase sempre, o futuro muda em função de uma vírgula fora do lugar, que parece tão insignificante.
A verdade é que as pequenas coisas são cheias de significados, e nos exigem atenção. Os pequenos atos podem ser os mais importantes no final das contas.

Mar



Não sei se é o azul em degradê intenso, ou a luz do sol iluminando o lugar. Não sei se são as ondas que quebram na areia, não sei se é a profundidade e o tamanho mistério que o mar envolve. Ou quem sabe seus lindos recifes de corais e os que ali habitam. Ou se são as gaivotas voando perto do farol quando chega o entardecer e o sol se põe, sobrepondo tons alaranjados. Ou se é a fogueira com direito a ukulele que fazemos quando anoitece. Ou talvez seja até o amanhecer que vemos pisando descalços nessa areia fria.

Na verdade, não é possível saber o que é atrativo sobre o oceano. A verdade é que quanto mais você se aproxima, menos você quer se afastar. Mais você se apaixona pelo mistério, e se junta aos outros milhares que sentem o mesmo que você.

Despedidas...

Fonte: Me Apaixonei


Acordei num dia frio e monótono de abril e, ao olhar pela janela do meu apartamento, pude ver o quanto o dia parecia cinza.
As pessoas pareciam tão frias e tudo ao redor tinha esse mesmo clima.

Ao observar tudo isso, percebi que a vida é feita de despedidas. Despedidas nos cercam a todo momento.
Sempre que você vai visitar um velho amigo, em algum momento você precisa se despedir e voltar para casa.
A cada virada que o ponteiro dá, você se despede daquela hora que só voltará no dia seguinte.
Os momentos mais prazerosos que você passa, uma hora precisam se encerrar e aí você se despede. Seja uma tarde de surf, uma manhã na cafeteria, uma noite no cinema.

Tudo e todos se despedem a cada curto momento.
E no final das contas, todos voltamos para o mesmo lugar onde entramos numa rotina chata, como se o dia já tivesse acabado e nada mais pudesse ser vivido até que um novo dia chegue.

Algumas verdades


Busão,  por desconhecido

A verdade 

Hoje eu tirei o dia para fazer algo que ninguém faz por você. Tirei o dia para te ajudar. Pra te contar umas verdades que podem ser importantes na sua caminhada. Existe uma série de coisas que podem se classificar como complexas nessa vida. E aos nossos olhos, tão humanos e falhos, então, a complexidade dessas coisas parece aumentar.

Há coisas que não podemos mudar. Como o clima. Ou o tempo. Ou o passado. E isso é algo que deveríamos aprender desde a primeira batida do coração, pois quem aprende mais tarde costuma sofrer e se cansar demais tentando mudar coisas que simplesmente não mudam. O decorrer do seu dia não vai mudar. Ele vai ter 24h assim como o meu. Assim como o do cara de bicicleta na ciclovia, e como o do casal na floricultura. O que muda é a forma como você pretende vivê-lo. É o bom dia e o sorriso para o moço que segurou a porta do elevador pra você. É o cheirinho de café no corredor do prédio. É a moça que pendura a roupa limpinha no varal. É a brisa que vem do mar e refresca seu sorriso. E bagunça seu cabelo. É a simpatia do pessoal do trabalho. É a happy hour com os amigos mais tarde. É a ida à praia para ver o sol se por no Arpoador. É voltar pra casa, dizer boa noite ao porteiro e ter seu cachorrinho te esperando com todo o amor do mundo para te transmitir. É deitar a cabeça no travesseiro e perceber que você tem uma vida feliz. E que amanhã o mundo todo te espera mais uma vez. É conseguir ver a beleza da vida. 

© Escritora por um acaso / Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design / Ilustrações por: Kézia Martins
Tecnologia do Blogger.